sexta-feira, 17 de junho de 2016


A Identificação da Babilônia do Apocalipse, objeto de maldições


O Anticristo já chegou. A apostasia já aconteceu.

Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

O santo em vida, o apóstolo Paulo, já profetizava o que teria de acontecer antes da Volta de Jesus:

“Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição,  o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.  Não vos recordais de que, ainda convosco, eu costumava dizer-vos estas coisas?  E, agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria.  Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém;  então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.  Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira,  e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.   É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira,   a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça”.  II Tessalonicenses. 2.3 a 11.

Muitos julgam que antes do fim do mundo surgirá um homem dotado de grande poder mundial, o iníquo da apostasia, a serviço de Satanás, que dominará o mundo se opondo contra tudo o que lembra Deus. Mas não é bem assim. Não será um homem, mas um Sistema que já se instalou entre nós há mais de mil anos, que continua firme e consolidado como nunca, pois esse estado é necessário e irreversível segundo as Escrituras, para que se cumpram as profecias do Apocalipse, como veremos. Vejamos:

Vamos iniciar lembrando que Daniel (Daniel, 7.25 a 28)  assombrou-se com o que fariam da Santa Igreja de Jesus dos tempos de Antioquia. Lembramos, também, que João evangelista não se assombrou nem com os efeitos das terríveis tribulações trazidas à Terra pelos anjos das Trombetas da Ira de Deus, mas assombrou-se, como Daniel, do que no futuro fariam com a Igreja Santa daqueles tempos (Apocalipse, 17.6).

Sabemos que naqueles tempos em que o Senhor nos concedeu as revelações do Apocalipse, a Igreja era perfeita, como a de Antioquia, como a Igreja de Filadélfia (Apocalipse, 3.7) e essa Igreja era tão perfeita que produzia santos mártires que se negavam a renegar a Jesus. Então, sendo aqueles tempos santos, siga o meu raciocínio:

Daniel e João assombraram-se e empalideceram com um fato de grandes proporções que aconteceria no futuro: Um Sistema muito poderoso se oporia a tudo o que se chama Deus na Terra imolando todos os que se negariam a participar da ampla corrupção de seus maiores e menores; que chegariam a vender lugares eternos no Céu de Deus; que perseguiriam mortalmente até os que ousassem ler a Bíblia, ou mesmo partes dela, e imporiam um regime de terror executando pelas fogueiras e por enforcamentos todos aqueles remanescentes que se negassem a participar de uma Igreja; Igreja essa que na época estaria muito mais para Satanás que para Deus.

Notem os irmãos que Está Escrito em II Tessalonicenses, capítulo 2, que se refere ao iníquo que virá começa na pessoa do singular e depois passa ao plural. O Sistema se compôs de muitos papas altamente vis, que zombaram de Deus de modo altamente terrível.

Eis como o Apocalipse profetiza e nomeia esse Sistema que já aconteceu:

‘Então, exclamou o anjo com voz potente: ‘Caiu, caiu a Grande Babilônia, e se tornou a Morada dos Demônios, o covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável, pois todas as nações têm bebido do vinho do furor de sua prostituição!’.  Apocalipse, 18 2.

Você já notou que estamos falando do Sistema Vaticano que dominou a Terra por seus papas reis, pelo menos até 1870, quando o poder mundano, político, com licença para guerrear e para matar foi retirado do Papa Pio IX, o último dos papas reis terrenos.


                      O império do Vaticano

http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/imperio-vaticano-435295.shtml

(Infelizmente esse tipo de Link nem sempre é durável)

Por quase 2 mil anos, os papas foram muito mais que líderes religiosos. Nomearam reis, governaram vastos territórios e até comandaram tropas no campo de batalha. E ainda hoje têm poder para chacoalhar o mundo

Reinaldo José Lopes | 01/05/2007 00h00

A passagem é uma das mais famosas da Bíblia. Diante da fé inabalável de seu discípulo Simão, Jesus teria declarado: “Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja. Darei a ti as chaves do Reino dos Céus”. A frase se tornou a base da autoridade dos papas. Como sucessores diretos de Pedro, eles teriam de guiar todos os cristãos do mundo, seguindo os ensinamentos de Jesus. Os papas, entretanto, não se contentaram com os Céus. Acabaram se tornando donos das chaves de muitos reinos da Terra.


Apenas três séculos após a morte de Pedro, os pontífices deixaram de ser líderes de uma seita perseguida para virar interlocutores de imperadores. Com o tempo, tornaram-se senhores de seu próprio império, governando grandes extensões de terra na Itália e fora dela, só perdidas no século 19. Em sua busca por território e poder, negociando nos bastidores ou comandando exércitos pessoalmente, houve momentos em que os papas pareciam ser capazes de moldar o mundo como quisessem.

“...ostentando-se como se fosse o próprio Deus”, como está acima colocado, Paulo profetiza o que de fato já aconteceu.  Vejamos as provas literárias de um Sistema em que homens que se nomearam Sumos Pontífices Infalíveis julgaram-se o próprio Deus, com o poder de Deus:

"O Papa e Deus são o mesmo, logo ele tem todo o poder nos Céus e na terra." Declaração do Papa Pio V, proclamado pelo alto clero como sendo Deus. Fontes históricas abaixo.

“Convém que ele cresça e que eu diminua”.  A humildade de João Batista, em João, 3.30.


Quanto a isso, vejamos as incríveis declarações de papas se auto proclamando Deus na Terra, O QUE PROVA que a Profecia já aconteceu: 

Porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus. Vejamos:

“Não somos simples mortais. Ocupamos na terra o lugar de Deus, estamos acima dos anjos e somos superiores a Maria, mãe de Deus, porque ela deu a luz a um Cristo somente, mas nós, podemos fazer quantos Cristos quisermos”.  Afirmações do Papa Pio IX, ao final do século 19, o “São” Pio IX, graças ao “santificador” João Paulo II. Gazeta da Alemanha número 21 do ano de 1870.

"Crer que nosso Senhor Deus, o Papa, não tem poder para decretar assim como ele tem decretado, deve ser considerado heresia." “Nosso Senhor Deus, o Papa”. "Dominum Deem nastrum Papam".    O Brilho dos Extravagantes (2) do Papa João XXII, Inter, título 14, capítulo 4, "Ad Callem Sexti Decretalium", Coluna 140, Paris, 1685. (Em uma edição de Antuérpia dos Extravagantes, as palavras, "Dominum Deum Nostrum Papam". "Nosso Senhor Deus o Papa", podem ser encontradas na coluna 153).

Porque ele é o vigário de Cristo, que é o "mesmo Deus e o mesmo homem". Decretal D. Gregor. Pap. IX. lib. 1. de translat. Episc. tit. 7 c. 3. Corp. Jur. Canon. ed. Paris, 1612; tom. II Decretal. col. 205.
“O sacerdote é o homem de Deus, o ministro de Deus... Aquele que despreza o sacerdote despreza Deus; aquele que o ouve, ouve a Deus. O sacerdote perdoa pecados como Deus, e aquilo que ele chama de seu corpo no altar é adorado como Deus por ele mesmo e pela congregação... Está claro que a sua função é tal que não se pode conceber nenhuma maior. Portanto, eles não são simplesmente chamados de anjos, mas também de Deus, mantendo como fazer o poder e autoridade do Deus imortal em nós”.  A doutrina católica, segundo resoluções do Concilio Ecumenico de Trento (1545-1563) Edição, Publicação  Rio de Janeiro: A. p. Guimarães & Ca., 1864. Biblioteca da PUC.

"...Nós detemos nesta terra o lugar de Deus Todo-Poderoso..."  O Papa Leão XIII, em Praeclara Gratulationis Publicae. A Reunião da Cristandade. Encíclica promulgada em 20 de Junho de 1894.

"Cuidemos não perder aquela salvação, aquela vida e fôlego os quais tu nos tem dado, pois tu és nosso pastor, tu és nosso médico, tu és nosso governador, tu és nosso esposo, finalmente tu és outro Deus, sobre a terra."  Christopher Marcellus em Oração ao Papa Julius II, no Quinto Concílio (1) Lateral, Sessão IV (1512), Edição do Concílio. Colm. Agrip. 1618 (Do Latim em Mansi SC, Vol. 32, col. 761), (também citado em A História dos Concílios, vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart), que exibe as incríveis bajulações dos católicos aos papas de todos os séculos, inclusive hoje.

“Sem o sacerdote, a morte e a paixão de nosso Senhor não teria nenhum valor para nós. Veja o poder do sacerdote! Através de uma palavra dos seus lábios ele transforma um pedaço de pão em Deus! Um fato maior que a criação do mundo. Se eu me encontrasse com um sacerdote e um anjo, eu saudaria o sacerdote antes de saudar o anjo. O sacerdote ocupa o lugar de Deus”.  Lorraine Boettner.

Vamos traduzir cada verso das profecias do Espírito Santo de Deus em II Tessalonicenses:

“Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição,  o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus. 

 "Não vos recordais de que, ainda convosco, eu costumava dizer-vos estas coisas?  E, agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria.  Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém;  então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.  Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira,  e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.   É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira,   a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça”.
  II Tessalonicenses. 2.3 a 11.

J   á suficientemente mostrado que o homem da iniquidade que se oporia contra Deus e se julgaria como sendo ele o próprio Deus na Terra é um Sistema, o Vaticano,composto de várias gerações de papas vis e não um homem único homem.

V    Em Azul, versos do trecho acima:

 “  Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém;  então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.

Aqui está revelado que o Sistema só terá o seu merecido castigo no Grande Dia da Vinda de Jesus.

3)    “Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira,  e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos”.  

Aqui está a revelação de que Satanás sempre comandou o Sistema, o Vaticano, porque transformaram a Igreja Verdadeira de Jesus num covil de aves de rapina, num antro maligno da mais alta corrupção. Aqui também diz de sinais e prodígios produzidos pelo Pai da Mentira, tais como as famosas aparições em que o Sol teria se transformado numa bola de fogo.

4)    “É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira,  a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça”.  II Tessaloniceses. 2.3 a 11.

Mediante o pecado dos que lançaram a Religião de Jesus, a Identidade de Jesus no mais fétido, imundo e profundo esgoto, segundo as Escrituras o Senhor não lhes permite ver a Verdade, não lhes chama para a conversão e, assim, pelas suas altas injustiças serão condenados. É a Palavra de Deus que assim revela.  Jesus já revelava que a esses não pretende que se convertam:

“Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados.Jesus, em João, 12.40.

Em razão de tantas acusações no passado contra a tal Igreja, o clero inventou um chavão muito usado: A Igreja é como uma bigorna que já consumiu muitos martelos.

Os papas da Idade Média, todos eles, viveram afundados em sua luxúria e ostentação do poder terreno,   e vários deles tentaram elevar-se ao grau da Santidade do Senhor Deus, o que consistiu em mais um dos vários motivos que provocaram corajosas e gravíssimas acusações do valente e ousado frade Jeronimo Savonarola contra a corrupção papal, e de todo o clero da Igreja católica, ato suicida para a época.  Repetindo o Apocalipse, Savonarola denomina o Vaticano, seus habitantes e tudo o que representa como sendo a Grande Prostituta satânica de toda a sorte de devassidão, banhada de sangue inocente, segundo o Apocalipse 17 (que consiste no Grande Julgamento da Babilônia papal vaticana romana, que começa no Apocalipse 16:19 e só termina no capítulo 19):


 “Tu profanaste os sacramentos pela simonia, clama ele à sua Igreja. A tua luxúria fez de ti uma prostituta. És um monstro abominável. Criaste uma casa de devassidão. Transformaste-te, de alto a baixo, em casa de infâmia. E o que faz a mulher pública? Acena a todos os que passam; quem tiver dinheiro pode entrar e fazer o que lhe apeteça. Mas quem quer o bem é expulso. Foi assim, Igreja prostituída, que desvendaste a tua vergonha aos olhos do universo inteiro e o teu hálito envenenado elevou-se até ao céu”.  Fonte: TINCQ, Henri - Os Gênios do Cristianismo. Histórias de profetas, de pecadores e de santos. Lisboa: Gradiva, 1999. (Para quem não sabe o que é Simonia, trata-se da burla da compra de votos para eleger-se, no caso aqui a papa).

Por proclamar essa Verdade altamente notável e comprovada pela História Universal (ex: a Enciclopédia Barsa), tremenda foi a vingança vaticana contra o corajoso frade Savonarola, ao final do século 15, pois foi enforcado e depois, pela ira e ódio incontido do corrompido Papa Alexandre VI, da famosa família Borgia, não contente em tê-lo enforcado, ordenou que seu cadáver fosse também literalmente assado nas fogueiras da “Igreja de Deus”, juntamente com seus auxiliares. 

Vindo da Alemanha, o frade Lutero que visitava Roma, ficou a admirar a cidade das sete colinas. Com visível  emoção prostrou-se ao solo, exclamou: "Santa Roma, eu te saúdo!"

Animado, Lutero visitou as igrejas, e integrou-se na comunidade.   Mas quando mais observava, mais foi se desiludindo com a Roma, antes saudada com ênfase. Lutero assistiu a cenas que o encheram de desilusão, de espanto e de horror.  A iniquidade e o destemor a Deus era latente em entre todas as classes do clero. Ouviu os palavreados  imorais dos clérigos, e horrorizou-se com tanta bandalheira, e mesmo durante a missa a libertinagem corria á solta.  Os sacrilégios predominavam em todos os setores, e o pior de tudo é que os clérigos viam e agiam com normalidade.   Santidade ali não havia nem por sombra, somente atos dignos dos filhos de Satanás. Por isso  tudo, e por mais não dito, Lutero escreveu:

"Ninguém pode imaginar que pecados e ações infames se cometem em Roma; precisam ser vistos e ouvidos para serem cridos. Por isso costumam dizer: "Se há inferno, Roma está construída sobre ele: é um abismo donde procede toda espécie de pecado”. J. H. Merle D'Aubigné.

Bem profetizou o Evangelho:

. “... mas virá a hora em que quando vos matarem, julgarão estar prestando culto a Deus”.  O Evangelho de João, 16.2.  

Um cardeal católico, numa troca de E-mail's, ao que retrucar a mim que se a Igreja Católica Romana não fosse a única verdadeira já teria desaparecido respondi a ele:

Sim, meu caro cardeal, as Escrituras profetizam, em Apocalipse, 16.19 continuando por todo o capítulo 17, 18 e até o início do 19 o julgamento do Vaticano, por isso terá de durar até o dia da Ressurreição de todos os mortos, mesmo sendo a morada e covil das aves da podridão, como está escrito nesses capítulos.

Portanto, irmão o grande líder de Satanás que corrompeu o mundo inteiro quanto aos Mandamentos de Deus já chegou há mais de mil anos. A Grande Apostasia já aconteceu.  A Besta e o Falso Profeta já aconteceram. Então, para a Volta de Jesus só falta a evangelização de todos os povos, que agora com os meios rápidos de comunicação, só não vê a Verdade quem não deseja ver.

O Grande Julgamento desse Sistema que se instalou no mundo e que corrompeu o mundo, até o mundo evangélico que não sabe enxergar que foi sutilmente enganado ao imaginar que Jesus teria pregado os Dez Mandamentos na cruz, e que assim, a obrigação promulgada pelo Senhor no Monte Sinai e devidamente reafirmado, com todas as letras, por Jesus no Sermão do Monte, em Mateus, 5.17 e seguintes.

O julgamento divino do Sistema babilônico  do papado romano está profetizado no Apocalipse, começando pelo capítulo 16, verso 19 e continua pelo capítulo 17, segundo pelo 18 e terminando no início do 19.

 “Também jamais em ti brilhará luz de candeia; nem voz de noivo ou de noiva jamais em ti se ouvirá, pois os teus mercadores foram os grandes da terra, porque todas as nações foram seduzidas pela tua feitiçaria”. Apocalipse, 18.23. 

A feitiçaria é o visual da Igreja, que empolga, pois o catolicismo sobrevive pelo visual: Um Vaticano imenso, que impressiona; as vestes reais dos papas, que empolga; as altíssimas catedrais que impressionam; a santa em vida Maria, sempre jovem e bela, vestida de azul e branco  que empolga e leva á idolatria; belos corais e as missas cantadas e todo o aparato em torno delas e por aí afora...


Uma vez, um bispo católico ousou fazer-me crer que a Babilônia que o Apocalipse cita, nada tem a ver com o papado romano, mas com a Babilônia Antiga, a de Nabucodonosor, mas retruquei a ele que a Palavra de Deus no Apocalipse se refere a UMA BABILÔNIA DO FUTURO, a das sete colinas, que ainda vai acontecer, portanto, fica sem efeito a sua interpretação conveniente ao papado romano.


Waldecy  Antonio Simões.    walasi@uol.com.br .

Todos os meus escritos, inclusive dos blogs, são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados.

Meus Blogs:














http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/






























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43